O Facebook anunciou nesta quinta-feira (28) que está adicionando aplicativos desenvolvidos por terceiros à Horizon Home, uma sala virtual que pode ser acessada usando o Oculus Quest, headset de realidade virtual da empresa. Entre os aplicativos que devem fazer parte da loja está o Slack, popular app de comunicação corporativa.

Com a adição do Slack, deverá ser possível ler mensagens e visualizar notificações usando o headset de realidade virtual. Outros aplicativos 2D, como Dropbox e Instagram, também serão incluídos em breve no Horizon Home.

Tudo isso faz parte do desenvolvimento do “metaverso”, que é apontado por especialistas como o futuro da internet. Tentando simplificar, a ideia é desenvolver ambientes que possibilitem a interação de pessoas online por meio de realidade aumentada e realidade virtual.

A promessa, no entanto, é que o metaverso não seja apenas uma nova versão ou evolução da realidade virtual como conhecemos hoje, mas algo completamente revolucionário, com potencial para ser mais impactante do que a revolução mobile. Apesar de ser amplamente debatido, o metaverso acaba sendo um conceito meio abstrato — e ainda não tem uma definição exata.

O fato é que, para além do Facebook, há uma série de outras empresas investindo no futuro das interações online. Microsoft, Epic Games e Nvidia são exemplos de peso que vem colocando seus milhões para viabilizar (primeiro que a concorrência, se possível) a tecnologia que promete ser o futuro.

Assine a newsletter do Gizmodo

Como quem lê o Gizmodo viu por aqui, a companhia fundada por Mark Zuckerberg também anunciou hoje a mudança de nome. Agora, ela passará a se chamar Meta. E o Facebook, a rede social, será apenas um dos produtos oferecidos pela companhia — como Instagram e Whatsapp. O nome é uma clara referência ao metaverso, o que indica a importância que a gigante da tecnologia dá ao projeto.